• Revista lounge*

Revista lounge*

2º turno: Bolsonaro e Haddad voltam a se enfrentar nas urnas

News

2º turno: Bolsonaro e Haddad voltam a se enfrentar nas urnas

Candidatos têm 20 dias para realizar campanha eleitoral pela corrida presidencial

A apuração dos votos do primeiro turno das eleições na corrida presidencial, na noite de domingo (07/10), confirma para o segundo turno:  Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).  Os candidatos voltam a se enfrentar nas urnas no segundo turno das eleições, no domingo (28/10).

Dada à importância das eleições para a democracia do país, e o atual cenário político, os eleitores têm o desafio de fazer escolhas cada vez mais assertivas. A busca pelo candidato ideal precisa se pautada tanto nas suas propostas nos campos que mais exigem atenção como, por exemplo, saúde, educação, economia tanto quanto no estudo do seu histórico político.

São apenas 20 dias de campanha. No entanto, o calendário eleitoral é rígido: é preciso hoje, segunda-feira (8/10) esperar 24 horas do encerramento da votação (17 h de domingo, 07/10) para reiniciar propaganda e divulgações.

A exemplo do que ocorreu no primeiro turno, no dia 28, as votações começam às 8h e vão até as 17h.

Bolsonaro convoca eleitores

Ainda hospitalizado, Bolsonaro convocou os eleitores para o segundo turno das eleições. “Temos de acreditar no nosso Brasil. Não podemos nos recolher. Faltam três semanas”, disse em transmissão pelas redes sociais, acompanhado do economista Paulo Guedes, seu assessor econômico na campanha e eventual ministro da Fazenda em caso de vitória.

Ele ainda agradeceu aos brasileiros pelos votos que recebeu. O candidato venceu em quatro regiões do país, perdeu somente no Nordeste. “Tenho certeza que ampliaremos esta vantagem no segundo turno”, disse.

Haddad: discutir o Brasil

Em seu primeiro pronunciamento, após a confirmação do segundo turno, Haddad afirmou haver “muita coisa em jogo” no pleito deste ano e sinalizou a busca de apoio nas próximas três semanas de campanha. Até a última atualização do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o petista tinha 28,95% dos votos válidos contra 46,26% de Jair Bolsonaro (PSL), com 98,86% das urnas apuradas.

Em seu discurso, Fernando Haddad disse ainda que pretende “unir os democratas do Brasil” em torno de um projeto que tenha como prioridade o combate as desigualdades sociais do país e a defesa da soberania nacional e popular. Ele falou ainda que o segundo turno abre oportunidade para discutir “frente à frente e olho no olho”. “Vamos para o campo democrático com uma única arma: o argumento. Nós vamos com a força do argumento para defender o Brasil e seu povo, sobretudo o povo mais sofrido do país”, afirmou.

Abstenções nas urnas

Os números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre os votos brancos, nulos e abstenções revelam que mais de 39,9 milhões de pessoas optaram por não votar ou escolher um candidato à Presidência da República.

De acordo com o TSE, 29.719.056 pessoas não compareceram às seções eleitorais – uma taxa de 20,32%. Esse é o maior índice desde 2002 (segundo verificado quando 99,42% dos votos estavam apurados).

O número de votos em branco na eleição presidencial foi de 3.095.689 (2,65%) e o número de votos nulos foi de 7.161.245 (6,14%).

 

fonte: Agência Brasil

 

 

 

Arquivo/Agência Brasil




Continue Lendo
Você pode gostar...
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em News

To Top