• Revista lounge*

Coronavírus: Fornecedores da Apple se preparam para interrupções

News

Coronavírus: Fornecedores da Apple se preparam para interrupções

A base de manufatura da Apple na China corre risco de interrupções na produção após o feriado do Ano Novo Lunar, já que parceiros da empresa enfrentam o surto do coronavírus que já causou mais de 100 mortes no país.

Praticamente todos os iPhones do mundo são fabricados na China, principalmente pela Hon Hai Precision Industry, controlada pela Foxconn, na chamada Cidade do iPhone em Zhengzhou, e pela Pegatron, em uma unidade de montagem nos arredores de Xangai. Cada um desses locais fica a mais de 500 quilômetros de Wuhan, no centro da China, o epicentro do surto viral, mas essa distância não os imuniza contra seus efeitos.

“Não consigo imaginar um cenário em que a cadeia de suprimentos não seja afetada”, disse Patrick Moorhead, analista veterano do setor da Moor Insights & Strategy. “Se houver um grande problema de matérias-prima, fabricação, montagem, teste e remessa, haverá uma interrupção.”

A empresa normalmente lança seus iPhones de última geração por volta de setembro; portanto, é improvável que o vírus tenha um impacto significativo nesses planos; no entanto, a empresa também se prepara para iniciar a produção em massa de um novo iPhone de baixo custo em fevereiro, que sofre maior risco.

A Apple tem cerca de 10 mil funcionários diretos na China, tanto em unidades corporativas quanto de varejo. A cadeia de suprimentos da empresa também possui alguns milhões de trabalhadores que fabricam produtos como o iPad, iPhone e Apple Watch.

Muitos desses funcionários passaram os últimos dias em casa por causa do feriado, e a empresa não disse se pediu que permaneçam por mais tempo para impedir a propagação do vírus. Autoridades chinesas impuseram severas restrições de viagem e tomaram a drástica medida de colocar toda a cidade de Wuhan, com mais de 11 milhões de habitantes, em quarentena.

“Se o surto na China se espalhar mais, poderá impactar negativamente a cadeia de suprimentos, o que seria uma grande preocupação para investidores.”  A Foxconn disse que está monitorando a situação na China e seguindo todas as práticas de saúde recomendadas. A empresa não quis comentar sobre a produção em locais específicos, mas disse: “Podemos confirmar que temos medidas em vigor para garantir que possamos continuar cumprindo todas as obrigações globais de fabricação”.

*com informações da Bloomberg




Continue Lendo
Você pode gostar...
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Mais em News

To Top